.Graduação

05/06/2014 · 11:06
Cultura e perspectivas
Alunos de Negociação Internacional participam de seminário para debater a temática
Tamanho da Letra
Texto: Betina Albé Veppo
Imagens: Arquivo Pessoal/Kézia Andrade


Com o intuito de debater questões econômicas, comerciais e culturais de distintos países, neste mês ocorre o seminário “Aspectos Culturais e Como Negociar”. Esta é uma proposta da disciplina de Negócios Internacionais, conduzida pelo coordenador do curso de Comércio Exterior, Alexandre Pereira. Segundo o professor, “trata-se de uma oportunidade ímpar para os alunos agirem de uma maneira mais propositiva no que tange a absorção e posterior comunicação de conteúdos, assim como permite que turmas de semestres iniciais tenham contato com informações destes países e dinâmicas distintas de aula”. O primeiro encontro ocorreu nesta segunda-feira, 2 de junho, e foi caracterizado pela apresentação dos países: Japão, Suécia e China.

No seminário, os alunos não apenas explicaram sobre como o país atua com negociações internacionais, mas apresentaram música típica, convidados originários do país de análise, utilização de vestimentas e culinária. “Tivemos a oportunidade de conhecer melhor um país. Nós escolhemos o Japão e foi uma experiência diferente porque por mais que conheçamos o país pelo o que é discutido no Brasil, nós aprendemos muitos aspectos curiosos ao pesquisar, de cultura, sociedade, valores e princípios do povo japonês”, relata a aluna Kézia Andrade, ao acrescentar que, o Japão é um país de difícil negociação. Para conseguir comerciar com os nipônicos, o sujeito deve conhecer a cultura do país. “Eles são detalhistas, apegados a pequenas coisas, metódicos. Sem saber sobre sua estrutura cultural, é difícil obter êxito” conclui.  
O aluno Lucas de Paula conta que a iniciativa foi interessante, pois ter conhecimento dos aspectos culturais abordados gera um diferencial competitivo no mercado. “Nos instigou a conhecer outros países de forma aprofundada e entender que não existe certo e errado quando se trata de uma cultura diferente, com perspectivas diferentes. Possibilita-nos olhar para estes lugares sem olhos de julgamento, mas de curiosidade”, aponta. Ele explica as descobertas feitas pelo grupo: “Os suecos ficam satisfeitos quando é feito estritamente o que foi mandado, nem mais, nem menos. Apenas o combinado. Não gostam de se vangloriar por conquistas e esperam que isso não seja feito por outras pessoas. É um país com educação de qualidade. Na hora da negociação, o interessado deve estar bem preparado, entretanto são bem receptivos a novas ideias e debates. Eles detestam atrasos”. 

Nos próximos encontros, 9 e 16 de junho, dois novos países serão apresentados. No dia 9, o seminário ocorre no auditório 5D005 e, no dia 16, no 5C005. 

Buscar
Edições Anteriores
Assine a Newsletter

Voltar
Rodapé - Links