.Graduação

12/06/2014 · 15:46
Por um mundo melhor
Tinga fala do projeto Chutando o Preconceito, do respeito e superação, dentro e fora dos campos
Tamanho da Letra
Texto: Cândida Portolan
Imagens: Aline Spassini


Ser o melhor nos campos e fazer a diferença no mundo. Esse duplo objetivo acompanha Paulo César Fonseca do Nascimento, o Tinga, desde o início da carreira. Este ano, o jogador tomou a frente de uma nova iniciativa, que quem, mobilizado pessoas pelo mundo inteiro em prol da causa: o projeto Chutando o Preconceito. Nesta quarta-feira, 11 de junho, Tinga esteve na Unisinos Porto Alegre para partilhar as experiências do projeto e a importância da conscientização em todos os âmbitos da sociedade. O evento foi uma idealização do curso de 
Gestão para Inovação e Liderança (GIL).


Tinga carrega no nome uma referência e homenagem das suas origens, o bairro Restinga, em Porto Alegre. Foi lá que deu os primeiros chutes, ensaiou as primeiras jogadas e começou a luta pelos seus sonhos. A vida nunca foi fácil para o jogador, que se fortalecia a cada obstáculo superado. No início deste ano, vivenciou um lamentável episódio de preconceito racial, durante um jogo disputado no Peru. Deste triste acontecimento, surgiu o Chutando o Preconceito, que desenvolve com a parceria da em parceria com a Central Única das Favelas (CUFA). “Todo mundo tem a sua luta e paga o preço do êxito. Em cada dificuldade existe uma oportunidade", afirmou.

Mobilização social

O Chutando o Preconceito tem mobilizado cada vez mais pessoas, que tomam para si a responsabilidade de fazerem a diferença no contexto onde vivem, sejam elas personalidades famosas ou anônimas, engajadas em outros projetos sociais ou não. ‘É muito fácil dar dinheiro para ajudar alguém, fazer doações financeiras ou similares. Difícil é se comprometer com a causa, trabalhar por ela e chegar até as pessoas. É isso o que queremos com o projeto: tirar as pessoas da zona de conforto. Todos somos responsáveis pelas mudanças das realidades”, ressaltou Tinga.


A verdadeira liderança

O assunto “preconceito” é emergente e ganha espaço no processo de formação de administradores. Respeitar, valorizar e integrar diferentes perfis torna-se um imperativo para gerenciar uma força de trabalho cada vez mais diversificada. Um bom líder deve saber usar as diferentes qualidades e perfis para potencializar a confiança, efetividade, entrosamento, e outros tantos aspectos tão importantes para o trabalho em equipes. Segundo Tinga, essa liderança não é determinada, mas conquistada, “as pessoas reconhecem o trabalho do líder pela forma que ele mesmo trabalha e se dedica. Valoriza a equipe, se integra aos demais, e, pelo próprio exemplo, conquista os liderados. Não trabalha à parte, mas integrado em todo o processo. Enxerga o potencial de cada um, independente de qualquer característica física que tiver”, explicou.
Gestão para Inovação e Liderança

Gestão para Inovação e Liderança (GIL) é um curso de Bacharelado em Administração, com foco na formação de profissionais que serão protagonistas em seus ambientes de trabalho. A grade curricular é inovadora e exclusiva no mercado, com dois intercâmbios internacionais (um de duas semanas e outro de um semestre), a realização de um planejamento de carreira, além de disciplinas que abordam temas essenciais na atualidade, como empreendedorismo e responsabilidade social e sustentável. As turmas são fechadas, o que viabiliza um aprendizado compartilhado e continuo em equipes, desde o início do curso até o seu término. De acordo com a avaliação do MEC e o desempenho profissional dos egressos, o curso é destaque de excelência e padrão internacional na área de Administração.


Buscar
Edições Anteriores
Assine a Newsletter

Voltar
Rodapé - Links