.Mestrado e Doutorado

18/03/2013 · 15:02
Hora de reinventar
Aula magna do Mestrado Profissional em Gestão Educacional contou com a presença de Maria Beatriz Luce
Tamanho da Letra
Texto: Greyce Vargas
Imagens: Divulgação

Professores de diferentes universidades, bolsistas de iniciação científica e os 24 alunos do Mestrado Profissional em Gestão Educacional se reuniram na sexta-feira (15/3) para comemorar a primeira aula do curso.


Na Sala Santander, do campus Porto Alegre, o público assistiu a cantora lírica Eliza Machado, compartilhou seus projetos inovadores e começou a caminhada de um dos cursos mais inovadores na área de educação. Aprovado com nota 4 pela Capes, o mestrado profissional nasce com propostas arrojadas e com o desafio de manter a boa avaliação.

Osvino Toillier, presidente do Sinepe-RS, participou da concepção do projeto do curso e, agora, também é um dos alunos da primeira turma. “A ideia de ter diferentes universidades vinculadas ao curso mostra que temos que sair dos nossos feudos. As instituições se despojaram da sua reverencia acadêmica. Houve quem me dissesse que, como estou perto dos 70 anos, era minha hora de parar e colocar pijama. Eu acho o contrário, acho que temos que nos reinventar. Quero ser um exemplo para eu mesmo, para meus filhos e netos e para o mundo da escola”, contou.

Mônica Timm de Carvalho é diretora do Colégio Israelita de Porto Alegre. Lá, ela já implementou diversos projetos inovadores como o  Ir Ktaná, uma cidade-laboratório que funciona dentro da escola e é gerenciada pelos alunos. Interessada no currículo inovador do Mestrado Profissional em Gestão Educacional, ela retorna a universidade como aluna. “A expectativa é grande. A possibilidade de integração entre os conteúdos da pedagogia e gestão pensando a administração da escola é tudo o que o gestor de uma instituição de ensino precisa. Meu desejo é entregar novos ambientes, novas soluções para a escola e me aproximar da pesquisa. Quero produzir”, disse.


O reitor da Unisinos, padre Marcelo Fernandes de Aquino, lembrou dos primeiros contatos que teve com a palestrante da aula magna, professora Maria Beatriz Luce. Tudo começou quando a Unisinos deu seus primeiros passos em direção a Porto Alegre. “Maria Beatriz se aproximou de nós para entender nossos objetivos na capital. Elegante, ela nos fez tomar consciência sobre a importância dessa proposta. Assim como ela, temos sido corajosos e mostramos que somos uma instituição audaciosa que busca ser uma boa universidade global de pesquisa. Temos aqui um grupo de professores com alto valor e alunos que trabalham o dia todo e à noite nos honram com sua inteligência”, falou o reitor à educadora que já foi membro do Conselho Nacional de Educação.

Creio que o que vocês estão fazendo aqui é uma reinvenção do modelo de gestão educacional e dando ao país novas perspectivas de análise e ação”, apontou Luce. A professora esteve junto à universidade na criação do projeto que originou esse mestrado profissional. “Me encanta a noção de construção interstitucional. Isso deve estar presente na prática do ensino”, disse ela.

Defensora do conceito de gestão democrática, Maria Beatriz apontou que para que a formação acadêmica seja de qualidade é preciso ousar. “O trabalho colegiado, coletivo, e esse é um grande passo da educação em direção à democracia. Isso fortalece a educação, as políticas públicas e fortalece o país”, concluiu.

O mestrado profissional em Gestão Educacional é pioneiro na Região Sul do Brasil. O curso reúne profissionais de diferentes instituições de ensino que vão desenvolver e aplicar projetos inovadores nos espaços onde atuam. P curso equivale ao mestrado acadêmico e conta com o apoio da PUCRS e UniRitter e está estreitamente ligado à Unisinos. As aulas são no campus Porto Alegre e alguns alunos já estão inseridos em grupos de pesquisa do PPG em Educação.


Intervenção e pesquisa, esse é o objetivo do mestrado profissional. O curso congrega duas áreas que nem sempre andam juntas: os saberes da educação e os saberes das teorias de administração e gestão. A educação é um bem público, não é um negócio, mas precisa se atualizar na contemporaneidade da gestão. Essa área carecia de teorias da gestão com finalidade educacional. O curso foi aprovado com nota 4, o máximo que a Capes indica e é raro uma atividade ser aprovada com tal conceito. Isso dá orgulho, mas também indica que precisamos apresentar produções de qualidade”, aponta a coordenadora, Beatriz Fischer.

Saiba mais em: http://www.unisinos.br/mestrado-e-doutorado/gestao-educacional/apresentacao.



Voltar
Rodapé - Links