.Opinião

03/12/2008 · 02:06
Mobilização pelos flagelados do clima de hoje e de amanhã
Professor Demétrio Guadagnin debate sobre os responsáveis pelas alterações climáticas
Tamanho da Letra
Texto: Demétrio Guadagnin


Houve uma época em que São Pedro era o único responsável pelo clima. No nosso tempo, a frase que Lula teria dito ao ver de perto a tragédia em Santa Catarina resume uma nova percepção – “E tem países que ainda se recusam a assinar o tratado de Quioto”. E tem pessoas que ainda se recusam a dividir a responsabilidade com São Pedro. Aqui mesmo, nos vales dos rios dos Sinos e Caí fomos da enchente à seca antes de novembro acabar.

Orações e caridade são as ações mais necessárias no presente. Outras boas ações são necessárias para ajudar os futuros flagelados do clima. As mais importantes estão no plano político – nem só de assinatura vive o tratado de Quioto, mas de ações concretas, especialmente em dois campos. O primeiro é a política energética – o programa de aceleração do crescimento colocou muitos recursos para simplesmente construir mais usinas que afetam o clima. Deu migalhas para o que deveria ser o principal – investir em energias sustentáveis e na eficiência energética de equipamentos e da rede de distribuição de energia.

Além disso, precisamos de uma mudança tributária que incentive a produção e o consumo sustentáveis e penalize os insustentáveis – aqui também só tivemos migalhas por enquanto. No plano individual podemos ajudar aos futuros flagelados de muitas formas, já bem conhecidas – veículos econômicos, bicicletas, painéis solares, construções energeticamente eficientes, lâmpadas econômicas, reutilização e reciclagem de produtos e embalagens, entre muitas outras que ensinam nos colégios.

Mais Notícias

29/10/2013 · 16:30
Clima organizacional 2013
02/05/2013 · 14:28
Mudanças climáticas
20/10/2012 · 18:36
Morre primeiro reitor
26/08/2011 · 13:04
O poder na natureza
Buscar
Edições Anteriores
Assine a Newsletter

Voltar
Rodapé - Links