.Opinião

08/05/2008 · 14:07
Qual o valor da família?
Estudante de Direito Carlos Brito avalia a educação recebida em casa
Tamanho da Letra
Texto: Carlos Brito


Quais valores estão sendo repassados para as crianças? A relação intra-familiar deve ser compreendida por todos os membros, para que cada um reconheça o valor de todos os membros que lhe cercam no seio familiar.

É muito mais importante uma reunião de família do que a novela, o futebol, os bens, o dinheiro, etc. Quando tais coisas sobrepõem-se à relação familiar, é sinal de que a família, ou parte dela, passou o sinal vermelho e está no bonde do individualismo. E aí está a desvalorização da família. Muitos reclamam dos filhos, porém, mantêm uma postura de expectativa. O trabalho doméstico, por exemplo, não é valorizado. O problema de gerir uma casa não é apenas uma questão de distribuição de tarefas, mas de entender o trabalho doméstico, o qual recai preponderantemente sobre a mulher.

O pai se esforça para colocar alimentos dentro de casa, vestir e educar. Não se educam os filhos para valorizar o que está envolvido nesse processo familiar. A criança recebe tudo pronto, não lhe é mostrado o esforço envolvido, por isso muitas desenvolvem um sentimento de ingratidão. Nesse sentido, talvez o motivo da sobrecarga sobre a mulher, sobre as quais se coloca o peso do mundo doméstico quase que exclusivamente.

Percebemos que há muito sobre o que se discutir, pois é um assunto que envolve toda a família. A irresponsabilidade começa dentro de casa, no tênis no meio da sala, nas roupas por cima dos móveis, dentre outras situações que resumem a desvalorização da mulher. Para muitos homens, trabalho doméstico está fora de discussão. Perdem aí um valor educativo. A cooperação tem repercussão sobre a mulher, os filhos, a família.

Não há como discutir a família sem discutir o mundo doméstico. Ainda temos um pensamento retrógrado quando se fala de lar, logo, a tendência é lembrar das mulheres. Ele vê o mundo doméstico sem questionamentos pessoais, pois esse tema ainda carrega um pensamento autoritário das famílias do passado.

Contudo, tais considerações refletem diretamente nos filhos, os quais agregam valores como solidariedade, cooperação e respeito do próprio relacionamento pessoal dos pais.

Fica, porém, registrado que o pensamento familiar está mudando, posto que a participação do homem na atividade familiar aumentou e melhorou.

A condição existencial para uma sólida felicidade familiar deve ser a valorização de cada um dos seus membros, da distribuição dos deveres e das atividades que reúnam todos, ao menos de vez em quando. Os filhos de hoje serão os pais de amanhã. Portanto, é importante a educação voltada para os valores da família.


Mais Notícias

25/06/2009 · 13:53
Aspectos da família moderna
12/02/2008 · 13:56
O Brasil e a arte de explorar
22/11/2007 · 10:51
Decomposição da ética
Buscar
Edições Anteriores
Assine a Newsletter

Voltar
Rodapé - Links