.Universidade

13/09/2013 · 17:39
Conexão pela cidadania
Projeto Eu-Cidadão: Inclusão Digital e Cidadania
Tamanho da Letra
Texto: Pâmela Oliveira
Imagens: Rodrigo W. Blum / Divulgação

“Sabe aquele momento que você para e pensa se está fazendo sua parte por um mundo melhor? Porque foi numa ocasião dessas, de revisão de conceitos, que me apareceu uma grande oportunidade.”

Diego Ferrary, autor do relato, era funcionário da SAP Labs Latin America há um ano e meio quando passou por essa situação. Na época, por coincidência ou obra do destino – chame como preferir –, ele foi convidado a participar do projeto Eu-Cidadão: Inclusão Digital e Cidadania, e aceitou. O resultado veio logo nas primeiras semanas: “Aprendi mais do que qualquer pessoa que tenha assistido às minhas aulas”.

Fruto principalmente da parceria entre a Unisinos e a multinacional alemã, o Eu-Cidadão soma esforços para difundir o acesso às novas tecnologias da informação na comunidade. A iniciativa é voltada a indivíduos em situações de vulnerabilidade ou risco social, como alunos da rede pública de ensino e bolsistas ProUni da universidade; pessoas que, de uma forma ou outra, são privadas do contato com a web esfera.

“No que se refere à população de baixa renda, a falta de infraestrutura física e o custo elevado das conexões apresentam-se como importantes fatores responsáveis pelo não acesso à internet”, explica o coordenador do projeto, Paulo Ricardo Dias. A fim de contornar esse cenário, o Eu-Cidadão oferece não apenas cursos direcionados de informática, mas oficinas de cidadania com ênfase em inclusão digital, elaboradas de acordo com a necessidade do público atendido e suas particularidades.

Assim, os encontros são sempre abertos a mudanças. “Uma simples pergunta pode alterar nosso roteiro”, conta Diego. E de desvios saudáveis ele entende bem: “Já aprendi a preparar bolo e fazer crochê. Durante o planejamento do trabalho final, me ensinaram até os nomes de todos os personagens e títulos da saga Crepúsculo”. Difícil é dizer a quem a aula agrada mais, se aos usuários ou aos voluntários. Diego aposta no segundo grupo: “Com os adultos, descobrimos a superação; com os jovens, a alegria”.

Bons resultados

Aos 243 atendimentos diretos prestados em 2012 pela modalidade de oficinas semanais (totalizando 30h cada), soma-se a conquista de duas honrarias. Em outubro, a revista A Rede premiou o projeto na categoria Capacitação - Setor Privado, tornando-o o único representante gaúcho da edição. No mês seguinte, a Associação Telecentro de Informação e Negócios (ATN) nomeou a iniciativa na categoria Alfabetização Digital. Na ocasião, o Eu-Cidadão foi condecorado com certificado e notebook.


Os melhores resultados, entretanto, não estão nos números, e sim nas pessoas. A aposentada Maria Gorete da Silva, 55 anos, é prova disso: “Não é por causa da idade que preciso ficar acomodada. Fui lá e aproveitei a oportunidade, e foi ótimo, me senti valorizada, importante e feliz. Agora já posso me comunicar com colegas e familiares, além de estar ligada às notícias e aos acontecimentos do mundo. Enfim, sou outra”.


Mais Notícias

31/05/2014 · 11:39
Publicidade e era digital
24/04/2014 · 11:06
Televisão e convergência
02/04/2014 · 18:32
Protagonismo cidadão
27/03/2014 · 08:00
Espaço de convivência
18/10/2013 · 16:20
Autoestima e cidadania
Buscar
Edições Anteriores
Assine a Newsletter

Voltar
Rodapé - Links