.Universidade

17/09/2013 · 17:06
Inovação e Produção
O segredo para construir o novo Vale do Silício
Tamanho da Letra
Texto: Rhavine Falcão
Imagens: Aline Spassini

Pela primeira vez no Brasil, o diretor do Global Innovation Summit, Victor Hwang, veio mostrar aos gaúchos, o caminho para colocar a capital em evidência no cenário mundial. O workshop foi nesta manhã (17/9), na Sala Santander, campus Porto Alegre. “Tudo que funcionou em Porto Alegre até agora, não vai funcionar no futuro. O que trouxe você até aqui, não vai levá-lo adiante. No futuro as regras já mudaram e as necessidades vão ser outras” afirma Hwang.


Para o Reitor da universidade, Pe. Marcelo Fernandes de Aquino, esse evento é o primeiro sinal de como estamos alinhados com a inovação. É importante para mostrar como empresas, poder público e universidades vão trabalhar esse ecossistema na capital e região metropolitana. Inovação e tecnologia são essenciais no eixo de qualquer negócio. “Se antes algumas empresas tinham que inovar, hoje, isso é uma verdade para todas” completa a diretora do Parque Tecnológico São Leopoldo Unisinos - Tecnosinos, Susana Kakuta.

Para o secretário municipal de Governança Local, Cézar Busatto que acompanhou o workshop, a Unisinos é uma universidade com grande potencial de inovação. Ele também reforça a importância do comprometimento e da participação ativa de todos para que esse movimento cresça e se fortaleça.

O palestrante, Hwang é CEO, co-fundador e diretor de criação da Venture T2, uma das principais empresas de investimento de risco do Vale do Silício, nos EUA. Durante o evento, ele instigou o público a pensar sobre as regras que comandam a vida de cada um, ao falar sobre empreendedorismo e startups. Em outro destaque da sua fala, abordou a necessidade de mudar de foco, pontuando o que é positivo na nossa trajetória. As pessoas precisam valorizar aquilo que têm, por menor que seja a sua conquista. “Aceite ideias, diga sim. Faça com que as ideias cresçam umas com as outras. Inovação e produção precisam andar juntas, elas se completam”, afirma Hwang.


A universidade é um elo entre essas premissas de inovação e produção. O aluno do curso de Gestão para Inovação e Liderança, Rubem Klein, destaca que já se vê incluído no mercado de trabalho. “A universidade não está preocupada só em dar um curso de administração, mas em fazer diferente e agregar. Acredito que é importante esse contato entre alunos e empresas. Essa divergência de ideias é necessária para o desenvolvimento e o aperfeiçoamento”, completa Klein.

Para Hwang, o ambiente é que cria a mudança. É o que ele chama de rainforest (floresta tropical): um ecossistema com rica diversidade, interação e experiências. “Nós mudamos o comportamento das pessoas fazendo e não dizendo. Precisamos mostrar como fazer. Antes de construir os galhos das árvores, construa as raízes. É importante formar uma cultura, primeiro, para depois conseguir manter o que foi construído”, afirma Hwang.

Ao finalizar, ele destaca que para inovar você pode falhar, mas deve falhar de forma rápida e barata.



 


Mais Notícias

24/06/2014 · 16:40
Mais conhecimento
20/06/2014 · 16:34
Cartão premiado
17/06/2014 · 16:25
Unilínguas em clima de Copa
17/06/2014 · 14:13
2º Comdig Talk 2014
12/06/2014 · 15:46
Por um mundo melhor
Buscar
Edições Anteriores
Assine a Newsletter

Voltar
Rodapé - Links