.Universidade

20/11/2013 · 10:12
No ritmo certo
Serviço de convivência e fortalecimento de vínculos com inclusão através da música
Tamanho da Letra
Texto: Marina M. Corte
Imagens: Rodrigo W. Blum

Amanda Luisa Adam, 15 anos, toca pelo menos nove instrumentos de percussão. Desses, seu preferido é a marimba: espécie de mesa composta por lamelas de madeira que, ao serem percutidas com baquetas, produzem um som doce. A adolescente estava na sétima série do Ensino Fundamental quando entrou no "Vida com Arte"; foi seu primeiro contato com a música. Hoje, ela completa três anos de aprendizado. "A sensação de tocar é muito boa", conta. "É a de estar em outro lugar."



Localizado no Centro de Cidadania e Ação Social da Unisinos, popularmente conhecido como Antiga Sede, o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos - Vida com Arte acredita na força da música como ferramenta de transformação na vida de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Por meio dos instrumentos musicais e do canto, são trabalhadas questões como solidariedade, capacidade individual, superação de limites e autoestima. O objetivo do serviço é contribuir para o desenvolvimento integral da pessoa humana, prevenir situações de risco, fortalecer o vínculo familiar e comunitário e valorizar a importância da cultura.

Além da percussão, são ofertadas oficinas para iniciantes dos seguintes instrumentos: violino, viola, violoncelo, contrabaixo e flauta. Esses jovens formam duas orquestras de cordas, dois grupos de percussão, outros dois de musicalização e um coral. Participando das atividades, as crianças e adolescentes socializam-se, adquirem senso de cidadania e responsabilidade, têm contato com novos valores e ampliam seus horizontes culturais. Para o maestro da Orquestra Unisinos Anchieta e coordenador do Vida com Arte, Evandro Matté, as atividades do serviço atuam na formação integral dos jovens, pois oportunizam o fortalecimento de vínculos e contribuem para a melhora do desempenho escolar.

Em 2012, o serviço atendeu 234 crianças e adolescentes, somando com seu núcleo de Porto Alegre/RS, com ensino de música e assistência social e psicológica. Os jovens tiveram, em 2012, 14 atividades de formação cidadã. Para Amanda, no entanto, a melhor parte são as apresentações. No ano, foram 33, com público superior a seis mil pessoas. "O sentimento de estar no palco e ser aplaudida é muito bom", destaca. 


Buscar
Edições Anteriores
Assine a Newsletter

Voltar
Rodapé - Links