.Universidade

23/10/2012 · 10:12
Brasil-Coreia
Abertura do II Fórum acontece nesta terça, às 20h
Tamanho da Letra
Texto: Greyce Vargas e Pablo Furlanetto
Imagens: Rodrigo Blum


Na busca da inflexão tecnológica e da internacionalização, a Unisinos dá início nesta terça-feira (23/10) ao II Fórum Brasil-Coreia. Às 20h, no Anfiteatro Padre Werner, o reitor, padre Marcelo Fernandes de Aquino, recebe Henrique Miguel, do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação; Ricardo Martins, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI); Kyung Ho Lee, do governo coreano; e Ricardo Felizzola, CEO da HT Micron. O grupo vai debater o tema “Políticas Públicas na Indústria de Semicondutores”.

O evento é marcado por encontros científicos – que acontecerão nas manhãs dos dias 24 e 25/10 – entre pesquisadores brasileiros e sul-coreanos para discutir projetos em desenvolvimento e futuros.

A quarta-feira será dia de discutir as novas tecnologias e os semicondutores. À tarde, Min Young Kim e Willyan Hasenkamp Carreira vão discutir os “Dispositivos termoeletrônicos em filmes finos para geração de energia e aplicações em sensores”, na Unitec. Às 19h30, no Padre Werner, o tema será “Novas tecnologias para dissipação térmica” e, em seguida, “Tecnologias para LED e eletrônicos flexíveis”.

No último dia do evento (25/10), temas relacionados ao encapsulamento de semicondutores serão discutidos à tarde. No fim da tarde, a HT Micron lança seu chip de memória DRAM. A joint venture passa a ser a única empresa brasileira a produzir essa tecnologia. A memória DRAM (Dynamic random access memory) é um tipo avançado de memória RAM que é utilizada em sistemas eletrônicos digitais (notes, netbooks e ultrabooks). A DRAM possui a vantagem de custo menor e a possibilidade de armazenar mais bits em um mesmo espaço. Quem sai ganhando com isso é o consumidor. O Brasil tem hoje o incentivo de produção local que traz benefícios fiscais de até 15% para as empresas que fabricam computadores, o que diminui o preço final.

Escola Politécnica Unisinos

Na busca da inflexão tecnológica e da internacionalização, a Unisinos começa a dar passos importantes para a concretização do objetivo. Um deles é o conceito de escolas. No dia 25/10, às 18h30, durante o 2° Fórum Brasil-Coreia que ocorre no campus da instituição em São Leopoldo, a universidade lança a Escola Politécnica Unisinos, que visa reunir cursos e projetos de várias áreas, integrando ensino, pesquisa aplicada e extensão em sintonia com as necessidades da sociedade.

Na representação da escola está o professor Carlos Moraes. A Escola Politécnica compreende 30 cursos de graduação, divididos em bacharelado, licenciatura e tecnológica, nas áreas de Engenharia, Arquitetura, Tecnologia da Informação, Geologia, Ciências Biológicas, Gestão Ambiental, Matemática e Física. Além disso, são mais seis programas de pós-graduação estrito senso em Engenharia de Produção e Sistemas, Engenharia Mecânica, Engenharia Civil, Geologia, Computação Aplicada e Biologia, e cerca de 25 formações de curta duração, MBAs e especializações.

O encerramento do II Fórum Brasil-Coreia acontece às 20h com o painel “Cooperação cientifica e tecnologica entre Brasil e Coreia do Sul: Ciência sem Fronteiras”.

Confira a programação do II Fórum Brasil-Coreia em: http://www.unisinos.br/eventos/brasil-coreia/

O fórum também pode ser assistido pela internet. O evento será transmitido ao vivo através deste link .

Assista a entrevista que Guilherme Vaccaro e Carlos Moraes concederam à TV Unisinos sobre o II Fórum Brasil-Coreia em: http://www.youtube.com/watch?v=WR0so9X0jzA&feature=relmfu



Voltar
Rodapé - Links